terça-feira, 31 de agosto de 2010

Feelings'

Oh yeah, sentimentos. O que seria isso ?
teoricamente, informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam...Procuraremos não conceituar, justamente pelo fato de que além de sentimentos serem uma coisa individual, se é relevante ou não considerá-los importantes é uma questão de conceitos...
Atualmente o termo sentimento é também muito usado para designar uma disposição mental, ou de propósito, de uma pessoa para outra ou para algo. Consideraremos, aqui , esta disposição mental [ou não] de uma pessoa para outra, ou melhor de uma menina a um menino, ou virse versa, ou ao oposto, ah,fodas.
Uma coisa que não entra na minha cabeça, é a ‘facilidade’ que algumas pessoas tem em ‘amar’... Mas isso é tão individual, que eu me recuso a tentar entender realmente. Da mesma forma que alguns tem ‘facilidade’, outros tem ‘medo’. Sim, medo de sentimentos, de expressar, se privam de sentir, pelo simples fato de que nunca é correspondido. Ta aí o erro, se o sentimento não se dá, se sente, e isso é uma coisa interna e completamente individual, porra, pra que vc vai ficar esperando que uma outra pessoa sinta o mesmo por vc ? Falo de sentimentos, e não ações. Ações são dinâmicas e precisam de feedbacks, sentimentos não. Por isso que surge o ciúme.. se a pessoa que o sente, soubesse previamente que amar não é possuir, pensaria duas vezes antes de colocar o ser ‘amado’ á mercê do ciúme. Outra coisa que devemos refletir: já ouvi muitas pessoas falando que querem alguém pra chamar de seu. Espera aí vey..., alguém pra ser SEU, tipo um sapato, um telefone, um objeto, que necessariamente, vc possua? Então vc quer possuir alguém, ter o poder e o controle sobre tal? Isso é amor ? séerio, que fico com muito medo disso.. às vezes até entendo os homens, qndo as meninas começam a agir assim, “querer fulando pra mim”, veeey ele não é seu porra. Ele não é seu cachorrinho, sua barbie e nem seu notebook pra vc falar que é seu. Saca? Por isso as mulheres geralmente sofrem mais com a chamada ‘dor-de-cutuvelo’ , e pq vc acha ein? Cláro, vc quer ter alguém pra chamar de seu. Pensando assim, vc quer um objeto, não uma pessoa para compartilhar emoções e blablabla... e deve ser por isso que os homens correm de relacionamentos... okay, não vamos generalizar, mas os homens que sofrem com esse mal, são exatamente os que agem como a maioria das mulheres, querendo dominar outro ser humano, para falar o que ? que a ama ? porra, isso vai além dos limites universais de liberdade.
As vezes acho que as mulheres, com essa parada de sentimentos demais, assustam os homens. E ao contrário tbm é válido, homem com sentimento demais é chato pá porra. Sejamos um tanto medianos nos sentimentos, pode ser ? sem extremos, fraga?
Então, para num ficar um post de uma pessoa revoltada, digo-lhes que nem tudo está perdido, é só vc parar com aqueeela ideia sobre possuir alguém, fraga? Medo disso. E parar de querer retribuição de sentimentos. Deixaar as coisas rolarem, sem querer demais... quer sentir? sinta direito, oras. Amar é sentir raiva, angústia, dor, prazer, sentimentos e sentimentos. Não negue jamais isso.

É tipo não ficar de braços cruzados, fraga ?



Muito se fala sobre mobilização, conscientização, aquele lengalenga em prol de fazer com que as pessoas exerçam, de fato, sua autonomia. Mas, além disso, fazer com que as pessoas mudem sua própria realidade, saber que isso é possível.
Vivemos numa sociedade acomodada, onde não se vêem mais movimentos estudantis como antes, e até o próprio já perdeu força e a credibilidade de anos atrás. Numa sociedade onde as pessoas preferem assistir a revolução pela TV, que sempre tem alguém que vai fazer alguma coisa, sempre alguém para tomar frente, pensam que se eu deixar de fazer isso e, só eu, num vai mudar nada... As vezes acho que a tendência é piorar, as pessoas ficam mais acomodadas e desacreditadas, esperando que as outras pessoas tomem frente pra ir atrás, com medo de arriscar, de ‘meter a cara’, medo , medo e medo. Mas, cá pra nós, Seria realmente “medo” ? Prefiro olhar isso como um tipo de preguiça, aquela que impede de procurarmos nossos direitos, de não cobrar 1 centavo, de não jogar lixo na lixeira, que sempre tem alguém pra fazer isso e que não vai fazer diferença e talz...
Outra coisa, que está auxiliada com a negligência das pessoas com sua própria autonomia, é o pensamento coletivo. “Se tem muita gente fazendo tal coisa, vamos lá fazer ?” às vezes uso esse pensamento pra entender o porquê das pessoas gostarem de certos estilos musicais , (se tem muita gente dançando esse tal de rebolation, vamos, não deve ser tão vergonhoso), Mas até aí podemos ver que alguém teve que ‘meter a cara’ e mostrar pra galera que era bacana, fazer a tal ‘moda’. Sempre tem alguém que vai tomar frente, mas ficar esperando isso acontecer.... já sabe ?
Uma coisa é certa, por mais que saibamos que a sociedade é acomodada, pelos medos e preguiças sociais, as coisas vão acontecendo e se vc não fizer nada, as coisas passam e nada é feito. Faça as coisas acontecerem, permita-se, não tenha medo de responsabilidades, se você não fazer, quem vai fazer? É tipo não ficar de braços cruzados, fraga?